Image Image Image Image

Mabeco

Lycaon pictus
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image

Também conhecido como Cão Selvagem Africano, o Mabeco é originário das zonas Sul e Este de África. Caracterizado pelas suas enormes e redondas orelhas, cada animal tem seu próprio padrão de pelo malhado de cor preto, castanho, branco e amarelo.

O Mabeco possui pelo curto nos membros e corpo, e mais comprido no pescoço. Apresenta manchas de cor amarela, branca, preta, vermelha e castanha. Cada mabeco apresenta um padrão de coloração único, utilizado pelos investigadores para identificar os diferentes indivíduos. Apresenta uma marca preta longitudinal na testa, uma cauda densa, com a extremidade branca, o corpo delgado e as pernas longas e musculadas, com quatro dedos em cada pata, sendo os machos ligeiramente maiores que as fêmeas. Possuem orelhas grandes e redondas, que provavelmente ajudam na perda de calor assim como a seguir os membros da matilha, conseguindo ouvir sinais vocais a longa distância.

Esta espécie vive em matilhas socialmente complexas compostas por vários machos adultos aparentados entre si e uma ou mais fêmeas adultas aparentadas, originárias de outra matilha. Frequentemente apenas a fêmea dominante consegue ter crias com sucesso. O casal reprodutor monogâmico dominante pode ser distinguido pelas marcações com urina de todo o seu território.
Fora da época de reprodução, a matilha torna-se nómada percorrendo grandes distâncias em busca de presas.
O mabeco é um animal diurno, no entanto, a matilha sai para caçar durante a madrugada ou ao anoitecer, tentando evitar outros predadores, tais como leões e hienas. Estes animais capturam as suas presas através da cooperação de todo o grupo. As matilhas podem possuir entre 2 a 27 indivíduos.

O mabeco alimenta-se de grandes ungulados, tais como antílopes e gazelas.

A época de reprodução pode ocorrer durante todo o ano, apesar de ser comum entre Março e Junho. Após uma gestação de 70 a 72 dias, podem nascer até vinte crias. Inicialmente a progenitora permanece com as crias e quando os membros da matilha regressam da caça regurgitam alimento para esta. À medida que as crias se tornam mais velhas, todos os membros ajudam a alimentá-las e a cuidar delas.
Os juvenis tornam-se completamente independentes entre os 16 e os 24 meses, no entanto permanecem com a matilha, embora as fêmeas possam dispersar-se, normalmente num subgrupo com as suas irmãs, quando atingem os 2 anos de idade.

O Mabeco possui pelo curto nos membros e corpo, e mais comprido no pescoço. Apresenta manchas de cor amarela, branca, preta, vermelha e castanha. Cada mabeco apresenta um padrão de coloração único, utilizado pelos investigadores para identificar os diferentes indivíduos. Apresenta uma marca preta longitudinal na testa, uma cauda densa, com a extremidade branca, o corpo delgado e as pernas longas e musculadas, com quatro dedos em cada pata, sendo os machos ligeiramente maiores que as fêmeas. Possuem orelhas grandes e redondas, que provavelmente ajudam na perda de calor assim como a seguir os membros da matilha, conseguindo ouvir sinais vocais a longa distância.

Esta espécie vive em matilhas socialmente complexas compostas por vários machos adultos aparentados entre si e uma ou mais fêmeas adultas aparentadas, originárias de outra matilha. Frequentemente apenas a fêmea dominante consegue ter crias com sucesso. O casal reprodutor monogâmico dominante pode ser distinguido pelas marcações com urina de todo o seu território.
Fora da época de reprodução, a matilha torna-se nómada percorrendo grandes distâncias em busca de presas.
O mabeco é um animal diurno, no entanto, a matilha sai para caçar durante a madrugada ou ao anoitecer, tentando evitar outros predadores, tais como leões e hienas. Estes animais capturam as suas presas através da cooperação de todo o grupo. As matilhas podem possuir entre 2 a 27 indivíduos.

O mabeco alimenta-se de grandes ungulados, tais como antílopes e gazelas.

A época de reprodução pode ocorrer durante todo o ano, apesar de ser comum entre Março e Junho. Após uma gestação de 70 a 72 dias, podem nascer até vinte crias. Inicialmente a progenitora permanece com as crias e quando os membros da matilha regressam da caça regurgitam alimento para esta. À medida que as crias se tornam mais velhas, todos os membros ajudam a alimentá-las e a cuidar delas.
Os juvenis tornam-se completamente independentes entre os 16 e os 24 meses, no entanto permanecem com a matilha, embora as fêmeas possam dispersar-se, normalmente num subgrupo com as suas irmãs, quando atingem os 2 anos de idade.

Outros Mamíferos


Outros animais