Image Image Image Image

Suricata

Suricata suricatta
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image

Este pequeno e energético mamífero, evita terrenos montanhosos, preferindo habitar zonas semi-áridas com solo pedregoso.

Possuem um corpo esguio, cabeça alongada e focinho pontiagudo, quase triangular, altamente eficiente na procura de presas. Os incisivos são ligeiramente curvos e os caninos pontiagudos.
A pelagem é castanha, com riscas negras na parte terminal do dorso. Possuem longas garras nas patas dianteiras para poderem escavar. As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos.

Os suricatas saem das tocas assim que o dia começa a aquecer e procuram alimento sob pequenas rochas ou junto de raízes. Têm sempre um elemento do grupo vigilante que se mantém nas patas posteriores, o qual avisa os restantes elementos caso haja aproximação de um predador, como um chacal, um falcão ou uma águia.
Vivem geralmente em colónias familiares de 10 a 15 indivíduos. São animais territoriais e marcam as vizinhanças das tocas com fezes e secreções das glândulas anais. Os diferentes elementos do grupo contribuem para tomar conta das crias. Os suricatas estão em comunicação constante entre si e possuem várias vocalizações, inclusive, sons distintos para diferentes tipos de predadores.

Esta espécie é essencialmente insectívora, alimentando-se de vários tipos de larvas. Também ingerem milípedes, aranhas, escorpiões, pequenos vertebrados (répteis, anfíbios e aves), ovos e matéria vegetal, principalmente bagas.

A época de reprodução ocorre normalmente entre Setembro e Março. O período de gestação é de 77 dias, nascendo normalmente 3 a 4 crias por ano, que atingem a maturidade sexual com um ano de idade.

Possuem um corpo esguio, cabeça alongada e focinho pontiagudo, quase triangular, altamente eficiente na procura de presas. Os incisivos são ligeiramente curvos e os caninos pontiagudos.
A pelagem é castanha, com riscas negras na parte terminal do dorso. Possuem longas garras nas patas dianteiras para poderem escavar. As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos.

Os suricatas saem das tocas assim que o dia começa a aquecer e procuram alimento sob pequenas rochas ou junto de raízes. Têm sempre um elemento do grupo vigilante que se mantém nas patas posteriores, o qual avisa os restantes elementos caso haja aproximação de um predador, como um chacal, um falcão ou uma águia.
Vivem geralmente em colónias familiares de 10 a 15 indivíduos. São animais territoriais e marcam as vizinhanças das tocas com fezes e secreções das glândulas anais. Os diferentes elementos do grupo contribuem para tomar conta das crias. Os suricatas estão em comunicação constante entre si e possuem várias vocalizações, inclusive, sons distintos para diferentes tipos de predadores.

Esta espécie é essencialmente insectívora, alimentando-se de vários tipos de larvas. Também ingerem milípedes, aranhas, escorpiões, pequenos vertebrados (répteis, anfíbios e aves), ovos e matéria vegetal, principalmente bagas.

A época de reprodução ocorre normalmente entre Setembro e Março. O período de gestação é de 77 dias, nascendo normalmente 3 a 4 crias por ano, que atingem a maturidade sexual com um ano de idade.

Outros Mamíferos


Outros animais